segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Acordei esta noite

 Adão Cruz



Acordei esta noite com o gotejar da chuva monótono sonolento.
Dormia comigo a saudade e comigo acordou amargando horas sem raízes no tecer de angústias e desânimos.
Pura fantasia a textura dos sentimentos!
Os galos cantavam ao longe no romper da madrugada e a claridade incerta da janela
abria mansamente os meus olhos que sonhavam.
Ousei tocar a tua mão branca sabendo que tocava o lado esquecido da vida.
Tinhas morrido já na véspera o sabia mas esqueceu-mo o dormir.
Fugi para a cidade e vagueei pelas ruas adormecidas até os galos calarem o seu cantar.
Por baixo de um céu de nuvens levei meus passos para o lado do mar.
As ondas abriam-se nos rochedos negros e eu não tive medo.

Deixei que as pernas me pesassem ao longo da praia em passos leves de areia fina.

(Ilustração de Adão Cruz)

2 comentários:

  1. muito belo, lembrou-me os homens sentados nos rochedos da Boa Nova

    ResponderEliminar