quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Centenário Ricardo Carvalho Calero - Ainda não lhe foi feita justiça

Carlos Loures

Este ano de 2010, foi o ano das comemorações do centenário do Professor Ricardo Carvalho Calero (1910-1990), ano que está a chegar ao fim. Com júbilo, os que amam a Galiza, a sua língua, a sua cultura, puderam confirmar que há muitos galegos apostados em recuperar a subjugada identidade da sua Nação. Honrar a memória de Ricardo Carvalho Calero é uma das maneiras de o fazer.

Não sei se é oportuno ou se alguma coisa já se está a fazer nesse sentido, mas parece-me que deveria ser dirigiada uma petição à Real Academia Galega no sentido de em 2011 ser Ricardo Carvalho Calero a ser homenageado no dia das Letras Galegas. Porque é inacreditável que ainda não tenha sido escolhido. Na realidade para quem, como eu, está analisando a questão de fora, tendo apenas os dados disponíveis a toda a gente, torna-se incompreensível que a um homem como Ricardo Carvalho Calero que, inclusivamente, foi indigitado como presidente da Real Academia Galega, seja negada a homenagem que desde há dez anos lhe é proposta. Porquê?



Será que a Real Academia é real e académica, mas se esquece de ser Galega? Como pode negar dez vezes, ano após ano, a um dos filhos mais ilustres da sua Nação uma honra que obviamente merece? Defenderá a Real Academia Galega o castrapo e não, como Ricardo Carvalho Calero sempre fez, o galego puro, genuíno e provindo das mais profundas raízes da história do seu povo? Peço perdão se estou a ser injusto, sou um estrangeiro, não tenho talvez o direito de fazer a pergunta nestes termos. Quando e se me for dada uma resposta convincente, saberei pedir as devidas desculpas. Até lá, perguntarei, uma, mil, um milhão de vezes – Porquê?

1 comentário:

  1. Aos grandes homens tardam sempre o reconhecimento e a justa homenagem.

    ResponderEliminar